quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

O título de Ser Humano

Reedição do Natal? Arriscaria dizer que sim..Salto, Bragança Paulista, São Paulo, Araras, Campinas, Ribeirão Preto, São Carlos, enfim....novamente uma união geográfica de causar inveja a qualquer professora de Geografia. Desta vez o motivo não era comemorar o nascimento de um Ser, mas a graduação de uma das filhas Dele. Pensando no sentido literal da palavra graduação, depara-se com o que? Com um processo de formação, formar alguém para algo. E assim contemplou-se a comemoração...o comemorar daqueles que orgulhosamente formaram o caráter, a índole de um ser humano. Um ser humano que já foi pequeno, que já espalhou comida sobre a mesa, que já quebrou vasos de flores com uma simples pose para foto. O espaço escolhido para se vivenciar essa conquista tinha metros quadrados suficientes, mas a cada momento esses se tornavam menores. As risadas tomavam conta de cada canto dando vida a cada gesto. Num piscar de olhos graduados e graduandos se misturavam, e agora era a vez de filhas formarem as mães as ensinando a se maquiar, sobrinhas formarem tias as mostrando como esvaziar um colchão inflável, primos mais novos darem aula de Gestão de Carreira áquela que teoricamente responde como uma profissional da área. Um misto de geração dando significado a cada história ali presente, desenhando cada parte de uma comemoração compartilhada. Até os ausentes graduados se fizeram presentes nessa formação, presentes nas lembranças dos que nunca os deixam de lado, no anel dourado de pedras pretas que enfeitam o dedo doce, num simples pedido para uma boca vermelha de batom daqueles olhos que acalmam a alma, num olhar brilhante e sorriso cativante daquele que em pé na cozinha diz esperar sempre por novas palavras. Certamente ali estavam todos aqueles que formaram pessoas não para um primeiro título Universitário, mas para um primeiro título de Ser Humano.

5 comentários:

Guilherme disse...

Não consigo definir esse texto de outra forma que não seja lindo
Merecia uma narração como aquele texto narrado pelo Pedro Bial
Chamado filtro solar .
Bjs
Te amo

Ligia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ligia disse...

Lindo!!!!
como sempre, Bry
obrigada por participar do meu ser, prima!!
e esse fds foi fantastico msm...
um bjao!!!

Nadia disse...

Oi Bry...voce é demais...minha linda...fiquei muito emocionada mais uma vez, com sua forma tão especial de dizer as coisa com o coração...muito profundo foi o seu texto...maravilhoso mesmo...
Nunca deixe de escrever viu? O Gui tem razão quanto uma narração especialmente para o texto...
Um grande beijo no seu coração
Te amo...sempre Sua Dinda.

Paula R. disse...

Flor, vou fazer coro às suas tias: OBRIGADA POR VOLTAR A ESCREVER. NÃO PARE NUNCA!
Você tem o dom de se expressar em palavras e, com isso, registrar sensações e momentos de uma maneira ímpar.

Bjo grande e PSs,
Paula