sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Segundos coloridos

Cuidar do jardim para que venham as borboletas! Frase que denota um feito simples e fácil, certo?
Ah...como é gostosa a simplicidade das palavras! Mas, sobre esse jardim muitas vezes o sol é escaldante e a chuva tenebrosa. A terra parece estar seca demais ou úmida demais, a primavera parece perder a vez para o que demonstra ser o verão, o outono e o inverno interminável....
O que faz parte desse jardim? Os que já visitei são feitos de valores, premissas, crenças, amores, dores, frustrações, dificuldades, risadas, lágrimas, abraços, angústias, medos, realizações, decepções, paixões, encantamentos, tristezas, mágicas, alegrias, mentiras, verdades, sucessos, fracassos. Ainda parece uma tarefa simples cultivar esse jardim?
E as esperadas borboletas, de que cores são? De que tamanhos são? Arrisco dizer que são perguntas muitas vezes sem respostas.
Em grego antigo borboleta diz-se Psyché, ou seja, alma. Por sair do casulo ao nascer, a borboleta é o símbolo da alma imortal...Já me peguei pensando que borboletas apenas pousam...por alguns segundos, se tivermos sorte por alguns minutos.
São minutos por uma primavera inteira! São segundos por uma vida inteira!
É a espera ansiosa pela visita repentina, pelo colorido de um bater de asas, pelos segundos que validam o cultivo daquele jardim...

3 comentários:

Sergio Bruno disse...

Bry, parabéns pelo texto... Tomara que o jardim esteja sempe florido com o seu sorriso e com a sua legria.. Beijão

Gabi disse...

ai....LINDO!!! tudo o que eu sempre quis falar mas nunca pensei desse jeito!!!!!!!!!!!!!!!!!

Nadia disse...

Pura verdade! lindo! muito profundo também...voce consegue exteriorizar a alma através das palavras...parabéns! uma beleza!
te amo... Dinda Star